4 indicadores de segurança do trabalho para você ficar de olho

Indicadores de segurança do trabalho
4 minutos para ler

Acompanhar os indicadores de segurança do trabalho é essencial para que a empresa consiga identificar se as medidas adotadas são efetivas ou se é necessário fazer alterações para obter melhores resultados. Isso é importante devido à necessidade de atender às normas previstas na legislação trabalhista e proporcionar um ambiente adequado aos trabalhadores.

Resultados bons indicam que a companhia consegue reduzir os riscos existentes, diminuindo os acidentes de trabalho, os afastamentos e outras ocorrências que prejudicam os colaboradores e trazem prejuízos para o negócio.

Por isso mesmo, preparamos este conteúdo com 4 indicadores de segurança do trabalho que você pode acompanhar em seu negócio. Continue a leitura!

1. Número de acidentes de trabalho

Esse é um dos principais indicadores de performance (KPI) que devem ser observados pela empresa. De maneira geral, quando o número de acidentes é baixo (incluindo as doenças ocupacionais), isso significa que as medidas de segurança trazem os resultados desejados.

Assim, ele avalia a quantidade de acidentes de trabalho e a taxa de frequência por setor, considerando o período e o número de trabalhadores do departamento analisado ou da empresa. Valores altos significam que a organização precisa investir em novas estratégias de proteção.

2. Inspeções de segurança

As inspeções de segurança são feitas para fiscalizar o uso de EPIs, problemas de conformidade com as normas regulamentadoras e possíveis entraves no ambiente de trabalho. Para tanto, é preciso ter um planejamento detalhado com a frequência de inspeções e de itens que devem ser avaliados.

O indicador de desempenho terá como objetivo determinar se elas foram realizadas conforme o planejamento e o número de problemas que foram detectados, o que refletirá a necessidade de desenvolver medidas de correção imediatas para atender à legislação de segurança do trabalho.

3. Exames periódicos

Os atestados de saúde ocupacional (ASO) são importantes para a prevenção de doenças ocupacionais e para identificar alterações que podem indicar o desenvolvimento de algum problema pelo trabalhador.

Existem momentos em que os exames são obrigatórios, como na admissão, na demissão e na troca de função. Porém, a empresa também pode planejar procedimentos adicionais.

O objetivo de acompanhar os resultados é determinar se o volume de exames realizados é adequado às exigências legais e ao que foi planejado pelo empregador. Além disso, eles fornecem dados relevantes sobre o número de doenças ocupacionais desenvolvidas, que deve ser considerado no KPI de acidentes de trabalho.

4. EPIs entregues

Os empregadores têm a obrigação de fornecer os EPIs aos trabalhadores, mas é necessário acompanhar como está a utilização, já que isso influencia a eficácia das medidas de segurança e os custos da empresa.

Geralmente, os EPIs têm um prazo de durabilidade, mas o uso incorreto pode fazer com que sejam exigidas trocas mais frequentes. Diante disso, é possível identificar se os colaboradores precisam de mais treinamento e adotar as medidas para garantir a utilização e a conservação corretas dos itens. Como consequência, a empresa também consegue diminuir as despesas.

Ao identificar problemas nos indicadores de segurança do trabalho, é possível avaliar novas medidas a fim de melhorar os resultados. Assim, a companhia consegue cumprir a legislação e proporcionar um ambiente mais adequado, com aumento da produtividade e redução de custos em longo prazo.

Quer aprender mais sobre o tema? Então, confira o nosso conteúdo sobre como fazer um treinamento de segurança do trabalho mais eficiente!

Você também pode gostar

Deixe um comentário