Máscara respiratória descartável: quais os riscos de reutilizar?

Máscara respiratória descartável
4 minutos para ler

Usar máscara de proteção sempre fez parte da rotina de algumas pessoas, como os profissionais de saúde. Com o uso obrigatório para todos os cidadãos, devido ao coronavírus, é importante entender melhor sobre a máscara respiratória descartável, para que não seja feito o uso incorreto e ocorram contaminações.

As máscaras descartáveis funcionam como uma barreira física. No entanto, alguns estudos já revelaram que cada situação necessita de equipamentos específicos para a proteção. Então, muitas vezes, objetos descartáveis não conseguem oferecer proteção.  

Por isso, vamos explicar qual é a utilidade da máscara descartável, quais os riscos de reutilizar e em quais situações ela não é eficiente. Confira, a seguir.

O que é máscara respiratória descartável e qual é a sua utilidade?

As máscaras descartáveis não possuem barreiras de proteção específicas. Elas são somente um pano que cobre a região de boca e nariz. Assim, não tem capacidade de filtração de substâncias perigosas.

Ela pode ser útil para a proteção contra a propagação de gotículas de saliva ou outras secreções de via respiratória. Mas também pode ser utilizada para evitar a inalação de substâncias mais leves. Sendo assim, é útil para trabalhadores que não lidam diretamente com riscos, como em lojas e supermercados.

A máscara descartável não é considerada um Equipamento de Proteção Individual. Portanto, não necessita de Certificado de Aprovação. É possível perceber, então, que ela não oferece muita proteção. Reutilizá-la pode ser um grande perigo. 

Quais são os riscos de reutilizar máscara descartável?

Com a pandemia do coronavírus, em 2020, as máscaras foram muito estudadas e procuradas. Entre as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), está a de trocá-las a cada 4 horas.

Isso porque, quando falamos, liberamos gotículas de saliva, o que faz com que o tecido do equipamento fique molhado. Com isso, as suas propriedades eletrostáticas diminuem e retém menos partículas.

As máscaras descartáveis são fabricadas com Tecido Não Tecido (TNT). Então, não são feitas para lavar e reutilizar. São realmente de uso temporário e, após o uso, é importante descartar, pois as suas propriedades protetoras não serão mais eficientes após a lavagem.

Quando NÃO devo utilizar máscara descartável?

Como já falamos, a máscara descartável não oferece proteção contra determinadas substâncias. Por isso, nem sempre é a melhor opção, como para profissionais que trabalham em hospitais. Existem alguns casos em que o uso dela não é recomendado. Trouxemos sugestões de respiradores para algumas situações:

  • PFF1 — quando houver poeiras e névoas não tóxicas, como a de madeira e vidro;
  • PFF2 — para situações de contato com fumos metálicos e agentes biológicos (serve para os profissionais de frente do coronavírus);
  • PFF3 — contra partículas tóxicas e radionuclídeos.

Os respiradores citados acima proporcionam uma vedação adequada no rosto do usuário e possui um filtro contra os contaminantes. Elas são muito mais eficazes que as máscaras comuns.

Usar máscara respiratória descartável é um ato de zelo e cuidado com a vida. Porém, é preciso ter atenção, pois cada profissional necessita de equipamentos específicos e este tipo de equipamento pode não ser adequado.

Para entender melhor sobre como se proteger no local de trabalho, veja este artigo que produzimos sobre o uso de EPI.

Você também pode gostar

Deixe um comentário