Conheça os principais riscos em hospitais e os cuidados que eles exigem

enfermeiro levando maca remetendo os riscos em hospitais
4 minutos para ler

As pessoas que trabalham na área da saúde precisam conhecer os riscos em hospitais: divididos entre químicos, físicos e biológicos, eles devem ser medidos e prevenidos para ter mais segurança no trabalho.

Você sabe como isso funciona? O setor hospitalar é um dos ambientes mais expostos a riscos e que mais traz acidentes para os colaboradores e visitantes, por isso é preciso saber os cuidados que devem ser tomados.

Neste texto, mostraremos os tipos de riscos presentes nesse ambiente e quais cuidados tomar. Confira!

Quais são os tipos de riscos em hospitais?

Conhecer quais são os riscos destes ambientes é a primeira atitude que se deve ter para melhorar a segurança do local. Para isso, é fundamental contar com uma equipe própria e a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA).

Eles farão um mapeamento para identificar os riscos que cada setor está exposto, servindo como base para os documentos e treinamentos responsáveis pela prevenção de acidentes.

Os riscos físicos estão ligados ao calor, ruídos, radiações e pressões anormais da atmosfera. Geralmente, em hospitais é possível encontrar pelo menos um desses fatores.

Já os riscos químicos dizem respeito a substâncias que podem ser tóxicas e que penetram o organismo humano pelas vias respiratórias, pela pele e até mesmo por ingestão. Eles também estão presentes na rotina dos trabalhadores da saúde, como nos medicamentos, produtos de limpeza e de manutenção.

Por último, os riscos biológicos são as bactérias, fungos, vírus, parasitas e outros microrganismos que são prejudiciais à saúde e podem contaminar as pessoas. Esses são os mais comuns em hospitais, tendo em vista a própria rotina dos profissionais.

Quais cuidados devem ser tomados?

Como você viu, existem diversos riscos presentes nos hospitais, por isso é fundamental saber quais cuidados tomar para proteger tanto os colaboradores quanto os visitantes e pacientes. A seguir, mostraremos três formas de fazer isso. Confira!

Utilização de EPIs

Os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) são os dispositivos utilizados para a proteção de riscos que ameacem a segurança e a saúde no trabalho. Eles são muito comuns em hospitais e devem sempre ser observados.

Os mais comuns são os óculos de proteção, máscaras, luvas, aventais, calçados e coletes. É fundamental fazer uma ampla pesquisa no local para saber quais são os equipamentos necessários, pois eles variam de acordo com os riscos existentes.

O responsável pelo local é obrigado legalmente a entregar gratuitamente estes equipamentos e a fiscalizar o seu uso, para garantir a segurança de todos.

Descarte correto de resíduos

Devido aos riscos químicos e biológicos presentes no hospital, o descarte correto do lixo é muito importante para evitar problemas de saúde. Eles são fontes de contaminação e devem seguir as normas da NR 32.

É fundamental haver treinamentos, separação, armazenamento e transporte específicos para os lixos contaminantes, pois eles afetam a saúde e segurança de todos.

Cumprimento das normas de segurança

Outro ponto muito importante para evitar os riscos hospitalares é seguir as Normas de Segurança do Ministério do Trabalho. A mais importante delas é a NR 32, que já foi citada.

Ela traz as diretrizes para a segurança no trabalho em serviço de saúde, descrevendo os riscos, os programas que devem ser instaurados, as medidas de proteção, as obrigações de empregado e empregador, entre outros.

Conhecer essas normas é fundamental para todos os trabalhadores da área da saúde, principalmente em relação aos riscos em hospitais. Ignorar essas diretrizes acarretará mais doenças e problemas em relação à integridade física de todos, que podem se tornar fatais.

Gostou deste conteúdo? Então curta a nossa página no Facebook para acompanhar todas as nossas atualizações!

Você também pode gostar

Deixe um comentário